Brasil ou Exterior? - Rodney Mutter B.Sc., D.C. | Doutor em Quiropraxia

Brasil ou Exterior?

indecision-300x224

Continuo ouvindo diariamente um grande percentual da população reclamando do país, do governo, da vida e “ameaçando” se mudar para os EUA. Digo ameaçando porque sei que 99% daqueles que estão reclamando não tem nenhuma intenção de sair mesmo e questiono se conseguem se ouvir quando falam.

Percebo que muitas dessas pessoas que tentam tanto se convencer que a vida lá fora é melhor têm atitudes e hábitos aqui que são responsáveis, em parte, pelo estado atual deste país.

Nos EUA, por exemplo, podemos entender que um dos maiores motivos pelo qual as pessoas aqui falam que “tudo funciona lá” é que as leis lá são cumpridas. É como se cada cidadão entendesse seu lugar e seu comportamento para o bem do coletivo maior. Eles se comportam porque sabem que é o certo, sabem que faz bem para eles, sabem que faz bem para os outros, e em último caso, sabem que, caso não sigam as leis, tem consequências na forma de multa, prisão, etc.

No Brasil também tem leis. Alguns me dizem que as leis aqui são muito mais rígidas e mais extensas do que nos EUA. O que muda então entre um país e outro? Acho que uma possível hipótese, é que as pessoas aqui coletivamente concordaram que enquanto as leis não são cobradas ou reforçadas, então podem fazer o que quiserem. Em outras palavras, “eu vou aprontar enquanto ninguém diz pessoalmente que eu não posso”. E enquanto eu estiver aprontando vou reclamar da confusão que existe aqui que é diretamente uma consequência de “todo mundo aprontando”.

Eu vejo diariamente infrações de trânsito cometidas pelas mesmas pessoas que tentam me convencer que aqui ninguém sabe dirigir. Atitudes fiscais de pessoas que reclamam da corrupção no governo e, mais comum ainda, são as mesmas pessoas que querem tanta mudança, porém tem uma postura totalmente passiva em relação ao trabalho necessário para realizar esta mudança.

Tenho dois filhos pequenos, logo minha referência para muitas coisas é a convivência neste meio de crianças. O que lembro da minha infância é uma cobrança rígida e direta do meu pai. A vergonha que ele sentia se eu saísse da linha pesava tanto que ele se esforçava muito para que eu entendesse e seguisse as regras sempre. Além disso, ele sabia que ele seria cobrado caso eu gerasse algum prejuízo, era uma questão de honra. É como se os pais estivessem competindo para ver quem poderia educar melhor seus filhos.

Atualmente vejo atitudes erradas de pais, por mais simples e banais que sejam, que servem como péssimos exemplos para seus filhos, enquanto esses mesmos pais falam que querem criar seus filhos lá fora porque lá tudo funciona bem e é melhor. Será que eles já pensaram que se fossem se mudar para lá teriam que se comportar também? E se pensaram nisso, por que então eles não começam a agir de forma íntegra aqui no próprio país natal, para criar o mundo que tanto querem?

Eu não educo meus filhos somente quando eu acho que todo mundo está me olhando. Eu os educo porque estou me olhando e, no final do dia, tenho que me olhar no espelho e sentir paz comigo, minhas atitudes e coerência entre o que eu ensino e como eu vivo. Quando ajo corretamente me sinto muito bem e orgulhoso de mim e, quando ajo erroneamente me sinto como #%*^, e não preciso que um policial ou outra autoridade venha me dizer que estava errado.

Se todo mundo fizesse o certo, o Brasil seria o país que tantos querem conhecer fora!

Claro que muitos podem estar pensando: tá, mas se eu ajo certo e os demais não, de que adianta? Adianta muito – para você! Para o seu sono, sua paz interna, para ser um exemplo para as outras pessoas e para os seus filhos. Atitudes erradas, só porque são em massa, de uma população em geral, não justificam as mesmas.

Não espere o mundo melhorar para que você possa se entrosar com ele. Ajude a fazer este mundo melhor que você tanto sonha e, se cada um fizer a sua parte, não será necessário esperar o governo se organizar, nem se mudar para outro país.

Corrupção existe desde que o primeiro ser humano pisou nesta terra. Infelizmente sempre existirá. Quem espera uma autoridade ser honesta, antes de viver sua vida, vai passar sua vida em vão e desperdiçando muito talento.

Reconheço que não ajo corretamente em todos os momentos e sim, como todos, erro! Mas cada vez que erro eu escuto aquela voz interna que me chama atenção para o erro e faço questão de reconhecer e corrigir os erros antes que cheguem a me corroer de dentro para fora. O engraçado é que hoje enquanto educo meus filhos, eles me ajudam cada vez mais a chamar atenção para meus erros também.

Todo cidadão em todo país comete erros. A diferença entre países “de primeiro mundo” e de terceiro talvez seja que os cidadãos, individualmente, são responsáveis por suas ações, assim consequentemente, e naturalmente há organização, respeito, ordem e estrutura saudável, coerente e construtiva.

Desacelere um pouco, procure mais qualidade de vida em vez de quantidade de vida. Este ato de desacelerar é uma arte. É difícil. O mundo inteiro está lhe incentivando a correr mais rápido, acumular mais, conhecer mais lugares, mais pessoas, mas do que adianta se no final do dia você mal consegue se olhar no espelho de tanto que está se devendo?

Será que se for morar nos EUA você vai mesmo caminhar? Vai mesmo estudar mais? Vai mesmo ser mais feliz? Vai mesmo ser um pai mais presente? Já pensou no processo de imigrar? Sou imigrante, duas vezes, e digo por experiência própria – é difícil e requer muita sinceridade consigo mesmo e muito saco para aguentar o tempo que leva para se adaptar. Você é estrangeiro dentro da terra dos outros, você consequentemente não tem razão e tem que se moldar aos ideais culturais e regionais, além do mais!

Saúde, felicidade, paz mental e emocional, não devem pertencer a um país e não devem pertencer a um CEP. Pare de prometer que você vai ser feliz quando… Felicidade não pode depender do lugar, bem como sua condição financeira, é simplesmente algo dentro de você.

Antes de chutar o balde e condenar sua vida aqui, tente viver a vida que está prometendo para si mesmo que viveria lá fora. Viva corretamente aqui e veja se você não enxerga diferente o ambiente ao seu redor. Assim se um dia você realmente decidir trocar de endereço, você poderá sentir paz que fez o seu melhor!

Rodney Troy Mutter
Doutor em Quiropraxia
www.rodneymutter.com

2 respostas para “Brasil ou Exterior?”

  1. Paulo Capra disse:

    Concordo integralmente.
    Muitas vezes quando menciono que os modelos de organização política e social, que paises desenvolvidos utilizam, deveriam ser copiados por nós brasileiros, ouço que há muitos entraves culturais, etc., etc..
    Entretanto observo que os produtos e tecnologias desenvolvidos nestes países, rapidamente estamos consumindo sem dificuldades.
    Automóveis, computadores, telefones móveis, etc.., são rapidamente assimilados por brasileiros avidos por inovação.
    Precisamos nos dar conta que na raiz disto está a educação, pois ela transforma nossa forma de pensar e agir.
    Quando observo a organização de uma esscola pública na Florida, onde atualmente moro, e vejo o diretor da escola estar na porta de acesso da mesma recebendo os pais e alunos, todos os dias, desejando-lhes um bom dia.
    Quando vejo um policial estar integrado nas atividades da escola de forma que os alunos o vêem como um amigo e que está ali para protege-los e orienta-los.
    E para finalizar quando vejo alunos, com melhor desempenho escolar, pois este é o requisito para poder participar, chegarem 30 min mais cedo, para serem os voluntários na recepção de seus colegas.
    Quando vejo tudo isto, entendo as razões pelas quais aqui tudo funciona melhor.
    Educa-se as crianças para serem cidadãos, que se esforçam para dar o seu melhor.
    O Brasil é um país extraordinário, precisamos colocar luz sobre os modelos certos e difundi-los.

    • admin disse:

      Paulo, Bonito suas colocações e mais uma vez a intenção de trazer “o melhor de fora como exemplo para Brasil” e não desistir de um pais com tanto para oferecer. Tem que construir tudo de baixo para cima. Pouco adianta reclamar de tudo o seu redor – seja o exemplo na mudança que tanta quer.Te agradeço pelas palavras e participação! Abraço

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *