MATO - Rodney Mutter B.Sc., D.C. | Doutor em Quiropraxia

MATO

Na época em que fiz faculdade, tive um emprego como jardineiro.  Certa vez meu chefe me largou em um cliente para fazer o serviço e pediu que eu arrancasse todo o mato dos canteiros.

Inseguro por estar sozinho e sem muita experiência pedi que ele me orientasse para saber o que era mato e o que era flor. Saindo com pressa ele deu uma reposta achando que fora suficiente para que eu terminasse o serviço.  A resposta dele fica ecoando até hoje: “tudo que não pertence ao jardim é mato”.

Naquele momento a resposta não ajudou muito, sendo que eu não tinha muito conhecimento a respeito de flores e, de fato, não sabia “o que pertencia ou não” até porque o jardim não era meu.

Mesmo assim, desde aquela época, a lição tem me servido muito bem para guiar-me no sentido do que manter e do que retirar da minha vida pessoal, profissional, etc. É típico acumularmos muitos hábitos, posturas e até bens que não nos servem mais.

Devido à falta de prática de parar e tirar “este mato”, deixamos atitudes e posturas invadirem nosso espaço e, este excesso acaba tirando a atenção da beleza de tudo o que é bom em nossas vidas, assim como em nossos jardins.

Bem como no jardim, é muito mais fácil trabalhar minha própria vida, sendo que só eu sei o que faz sentido para mim.  É difícil saber o que outros consideram bonito, necessário, etc. em seu espaço e devemos respeitar as escolhas alheias.

Durante os nossos caminhos mudamos idéias e posturas.  Gostos que considerávamos úteis ontem podem virar mato amanhã.  É importante retirar este mato quando não acrescenta algo em nosso espaço.

Vejo nos jardins perto de casa muitas escolhas das pessoas que, pessoalmente, eu não colocaria no meu jardim e creio que alguns dos vizinhos pensam o mesmo quando olham para o meu quintal e minhas escolhas em flores.

Acredito que a mesma filosofia sirva para nossas atitudes também.  Um hábito que todos temos é comentar sobre o jeito dos outros: ações, caráter, etc.. Muitas vezes, esquecemos que só porque um hábito não faz sentido em nossa vida, pode ser algo bonito na vida de outra pessoa.

Respeito o momento de cada um e suas escolhas atuais.  Tudo tem sua hora e cada um tem a sua razão.  Cuide do seu jardim inspirando assim outras pessoas a fazerem o mesmo.

2 respostas para “MATO”

  1. Nice Pereira disse:

    Parabens pelo site e mensagens trabalho com RH e ja coloquei varias mensagens do seu site em palestras motivacionais, e minha filosofia e corpo e mente tem que trabalhar como uma engrenagem …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *