Natal - Rodney Mutter B.Sc., D.C. | Doutor em Quiropraxia

Natal

Quando eu era pequeno, o Natal demorava muito tempo para chegar.   Queria que fosse todo dia.  Todo mundo junto, árvore decorada perto da lareira que esquentava a sala.  A casa cheia e todos ocupados conversando, abraçando e resumindo o ano que passou, enquanto as mães e a avó preparavam o almoço.

A Impressão que eu tinha era que todos os pratos de Natal só apareciam no Natal.  Presunto que dava água na boca só de olhar, ovo cozido cortado ao meio e decorado; a gema doce e amarga ao mesmo tempo.  O mais especial de tudo foi o purê de batata da tia.  Ela fazia o melhor, mas ninguém falava isso para a mãe, nem para a avó. Com a mesa pronta e todos sentados, era o último prato a ser colocado à mesa antes de todos sentarem.  Sempre esperava ao lado do forno com a esperança de que a tia deixaria que eu pegasse uma pequena garfada antes de servir para os outros.  Além de não querer esperar, tinha medo de que todos fossem comer e não teria o suficiente para me satisfazer. Nunca faltou.

Todos riam enquanto comiam e até o cão e o gato ganhavam comida especial nesse dia.

O Natal era lindo, completo em todos os sentidos.  O único problema que eu vi foi a necessidade de esperar mais 364 dias até a sua próxima chegada.

A cena repetia ano após ano, mas em algum momento algo se perdeu.

A casa enchia todos os anos até mais do que lembrava, a mesa era a mesma, a conversa era a mesma, até a batata era igual e ainda assim, nunca faltou.

Tudo parecia mais sério, menos romântico. Vi os novos pequenos com aquele olhar que tinha quando era menor,  correndo pela escada, fazendo as mesmas brincadeiras e levando os mesmos xingões da avó.

Não pensava mais em papai Noel, nem reconhecia mais como era bom estar ali no meio de todos que me amavam.  O mundo para mim passou a ser diferente e tive muita dificuldade em esquecer os 364 dias que passaram.

Passou mais alguns anos e a vida me levou para longe de casa, da lareira, da árvore, da mãe, da avó, e do purê da tia. Natal chegava mais rápido como sempre sonhei, mas não importava mais porque não era o mesmo.

Comprei uma árvore.  Era pequena e ajudou um pouco, mas faltou algo, na verdade faltou muito.  Fiz uma janta especial, até repeti a receita do purê da minha tia conforme me lembrava, mas nada era o mesmo.

Busquei por alguns anos, sentido nesta data que era tão importante e tão mágica.

Passou o tempo, casei, e a árvore de natal cresceu. Comprei um cachorro e ele curtia a refeição especial.

Passou mais tempo e a chegada do meu filho me fez sentir algo que pela primeira vez me fez lembrar toda aquela cena de infância.

Passou mais dois natais e veio a minha filha.  A mesa era maior, mais cheia, e a conversa lembrava aquela que ouvia quando era pequeno.  Todo mundo se abraçando, relembrando o ano que passou.

A sala era outra, as pessoas eram outras, até o cão e o gato eram outros, mas a essência era igual àquela de muitos anos atrás.

Quando vi meus filhos fazendo as brincadeiras antigas que eu adorava tanto, aquele brilho nos olhos deles ao olhar para o pinheiro, aquela ansiedade de não poder dormir na noite anterior com medo de perder algo especial, neste momento, eu reencontrei o natal.

Aquele olhar mágico, a cena romântica.  Não tenho mais lareira, nem frio, nem neve, mas não importa, porque agora tenho a minha família, e com ela veio sonhos, convivências, memórias, brincadeiras  e a mágica que lembrava por tantos anos.

Hoje tenho que trabalhar mais para o natal acontecer, mas isso me faz reconhecer todos os outros que trabalharam por mim, quando papai Noel ainda me visitava.

Meu pai que cuidava o fogo para que o natal tivesse aquele cheiro e aquele calor especial.  Minha avó e a minha mãe que ficavam dias planejando e trabalhando para que nada faltasse na mesa.

A viagem que todos fizeram para que primos, irmãos, tios e avós pudessem se encontrar mais uma vez e comemorar o passar de mais um ano.  A minha tia, que até hoje não me deu aquela receita mágica do purê dela.

O Natal mudou muito. No meu caso, até a família mudou. Não são mais os mesmos tios, avós, nem os meus pais.  Mas de alguma forma, isso faz o natal ser ainda mais especial.  Além de reencontrar o natal, eu recriei a minha própria família.

Natal é família. É feito de encontros, brincadeiras, refeições, conversas, abraços, sonecas e em alguns lugares, lareiras, casacos, tocas e luvas.

Natal é gerações se encontrando para repassar o mágico de um para o outro, para que todos possam sonhar sobre aquilo que é importante nesta data.  Com tempo vou poder olhar para meus filhos reencontrando o natal enquanto criam os meus netos, mas no momento, ficam comigo para não deixar que o natal seja simplesmente uma data, mas que seja algo mágico que se repete todos os anos e seja preservado entre gerações no mundo inteiro.

Que neste natal você se encontre no meio de pessoas que você ama e que amam você.  Que você grave cada cheiro, cada nuance da cena para poder repassar para os outros.  Seja filho, pai ou avô, abrace esse dia e todos os que passam no seu caminho.

12 respostas para “Natal”

  1. SUELI DIAS disse:

    Muito linda sua mensagem, penso nisso todas as vezes em que a data se aproxima, o Natal é uma data muito signiificativa pra mim também, lembro de coisas como voce. Alguns anos pra cá tem sido uma data triste porque ainda não pude comemorar como se deve, não tenho casa, meus filhos longe de mim e sonho em um dia Deus me ajudar a realizar esse sonho, de ver meus filhos ao redor da minha mesa, uma árvore linda na sala, e um jantar maravilhoso tal qual era o seu…e claro o principal a presença do Menino-Deus em nossas vidas! obgada.

    • Rodney disse:

      Oi Sueli, Obrigado pele retorno e pelas palavras. Fico feliz que minhas palavras “conectam” com os outros. Agora que estamos chegando mais perto do final do ano, quase consigo sentir cheiro de tudo! Só falta frio e neve =).

  2. Marizete Pegorer disse:

    Rodney, linnnnda sua mensagem. Obrigado por compartilhar esta mensagem maravilhosa comigo. Natal é mesmo uma magia, mesmo que infelizmente algumas pessoas que amamos não estão mais entre nós. Um ótimo e abençoado 2013 para vc e sua família. Um abraço Mary

    • Rodney disse:

      Oi Mari,
      Boa tarde. Muito obrigado pelas palavras lindas. Agradeço muito e fiquei feliz que se identificou com meu artigo.
      Uma ótimo entrada do ano para vocês e te desejo saúde e sucesso em 2013.
      Grande abraço,
      Rodney

  3. Márcia F. Roque Flores disse:

    Rodney,

    Acho muito legal tua maneira de partilhar teus sentimentos!
    E Natal, realmente, é uma época de encontros e renovação!
    Feliz Natal para ti e tua família!
    O Heron e eu somos teus fãs!
    Beijos,

    Márcia.

    • Rodney disse:

      Oi Marcia,
      Boa tarde!
      Muito obrigado pelas palavras e para sua confiança em mim e meu trabalho.
      Fico muito feliz quando outras pessoas se identificam com meus artigos, sentimentos e a minha forma de olhar para o mundo.
      Fico contente de poder ter este “palco” para trabalhar e encontrar cada vez mais novo amigos.
      Um grande abraço e um feliz natal e ótimo 2013 para vocês,
      Rodney

  4. Janaina Lenhart disse:

    Lindo, simplesmente lindo! Esse Natal vai ser especial para mim… Não vou reencontrar o natal, mas sim ENCONTRAR! Porque nunca vivo a magia do natal na minha vida. Hoje com meu bebê nos braços isso vai acontecer…
    Feliz Natal!

    • Rodney disse:

      Oi Jana,
      Muito obrigado pela resposta do artigo. Fiquei feliz que se identificou e muito mais feliz para vocês três e essa nova etapa da sua vida. Agora que fazem parte do “clube”, vocês vão ver todos as alegrias e desafios que esperam os pais.
      Espero que este natal seja o melhor de todos e que vocês curtem seu filho e a sua família nova.
      Grande abraço,
      Rodney

  5. Rodney, lindo , lindo seu texto
    Um exelente natal e muita alegria, amor, paz, e conquistas
    Para voce e sua familia!!
    E espero poder em 2013 poder ir mais vezes visita-lo!!
    Com carinho

    Claudia,Zé,Julia e Pedro

    • Rodney disse:

      Oi Claudia,
      Obrigado por ter respondido o meu artigo! Sempre fico emocionado de ver que outros se identificam com as palavras escritas.
      Espero que vocês tem um excelente Natal e um ótimo ano novo. Agradeço muito a confianças que vocês tem em mim, e espero que sempre posso te receber com a atenção e carinho que vocês merecem.
      Grande abraço,
      Rodney

  6. Grande Rod!
    Parabéns e muito obrigado por compartilhar essa mensagem comigo. Realmente, as memorias da infância compartilhadas com nossos filhos é que faz o Natal ser ainda mais gostoso. Eles brincam igual a nós, imitam nossas atitudes e guardam todas essas coisas boas também. Como dissestes, amanhã repassarão para os seus filhos, nossos netos. Mas as lembranças… essas fazem mais por nós do que qualquer outra coisa. Somos motivados por elas. Elas nos lembram de onde viemos, como somos, para onde queremos ir… Aí estão as avaliações a cada final de ano. As comparações do que hoje somos e porque somos assim. Nossos filhos e familia seguem junto esse caminho.
    Muito obrigado e desejo que tenhas um Natal de muita alegria e muitas dessas boas lembranças. E que elas aflorem a cada novo dia na tua vida.
    Forte abraço, meu amigo!!!

    • Rodney disse:

      Marcelo,
      Mais uma vez, quero te agradecer por seu tempo em responder o meu artigo(s).
      Fico muito feliz com as suas palavras e espero que sempre posso compartilhar experiências pessoais que todos temos em comuns e muitas vezes deixamos de falar sobre elas em voz alta.
      Espero que neste natal, reconhecemos a abençoe de poder estar junto com pessoas que amamos e que amam a gente.
      Um grande abraço,
      Rodney

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *